PRODUZINDO CULTURA E MULTIPLICANDO ALEGRIA!
NOSSA MARCA NOSSO ORGULHO!
O PRIMEIRO E ÚNICO LIBRETO DA SAPUCAÍ!
MELHOR AMIGO DE QUEM ASSISTE OS DESFILES DAS ESCOLAS DE SAMBA!
A REVISTA MAIS QUERIDA DA SAPUCAÍ!
JUNTOS PELO CARNAVAL DO RIO.
COLECIONADA POR MILHARES DE FOLIÕES.
RD É DE TODOS!

A naturalização do racismo no Carnaval.

O racismo recreativo é aquele que substantiva a representação negativa dos corpos negros, como entretenimento social, a partir do “é brincadeira”, piadas, ou músicas retroalimentando estereótipos. É a peruca afro usada como adereço de fantasia. São máscaras grotescas ridicularizando a imagem do povo preto.

Qual o sentido do Blackface, ou da negra maluca?

A ‘Nega maluca” é a representação hiperbólica carregada de estereótipos da mulher preta, pobre, descabelada, com sua sexualidade explorada, exposta e hipervalorizada, essas representações estereotipadas produzem fortes consequências na autoestima de mulheres negras, principalmente, crianças e adolescentes, que estão em formação e na representatividade social.

São várias formas de violência racistas, utilizadas, naturalmente, no Carnaval, estabelecendo as impossibilidades segregadoras e desumanizadas, que se empenham em perpetuar a dominação colonial.

Foto/Reprodução da Internet – Pelo protagonismo negro, a comissão de frente da Império da Tijuca, Carnaval 2013.

As impossibilidades que transformam o povo negro, em vítimas naturalizadas, das práticas racistas, (liberdade de expressão?). E isso incide, principalmente, nas mulheres pretas, em que o “não é não?” desagrega as práticas agressivas do racismo estrutural.

Afinal, racismo também não é uma forma de assédio?

E cabe ao Governo do estado de Alagoas estabelecer uma campanha educativa, incisiva e permanente que eduque e oriente a população tutelada a denunciar e ajudar no enfrentamento ao racismo estrutural, afinal “Racismo é crime”.

Ei, precisamos de políticas públicas e investimentos em Letramento e equidade racial. Entende?

E você, já aprontou sua fantasia de carnaval?

Fonte: Raízes da África – https://www.cadaminuto.com.br

Picture of Redação

Redação

A Multiplicar atua em produção audiovisual, projetos culturais, acadêmicos e de carnaval. A equipe da Multiplicar é especializada em pesquisa de conteúdo, gestão e desenvolvimento de projetos culturais e produção audiovisual. A empresa é pioneira no desenvolvimento de pesquisa para enredo das escolas de samba, atuando com profissionais formados em História.
Picture of Redação

Redação

A Multiplicar atua em produção audiovisual, projetos culturais, acadêmicos e de carnaval. A equipe da Multiplicar é especializada em pesquisa de conteúdo, gestão e desenvolvimento de projetos culturais e produção audiovisual. A empresa é pioneira no desenvolvimento de pesquisa para enredo das escolas de samba, atuando com profissionais formados em História.

Leia Mais

Ao longo dos seus 15 anos de circulação no Sambódromo, o guia conquistou uma vasta...
A série “Foi naquele Carnaval” traz o jornalista Alberto João, diretor do site “Carnavalesco”, um...
A Série “Foi naquele Carnaval” estreia com um dos maiores nomes do Carnaval do Brasil,...

Sambas